“Nome Próprio” de Murilo Salles tem blog como estrela

nome.jpg

Estava em dúvida se ia ou não ia no lançamento dos livros de moda da Cosac&Naify, mas como era longe (Shopping Morumbi) e eu não tinha grana para comprar a caixa (R$ 189), resolvi mudar o rumo e ir na estréia de Nome Próprio do Murilo Salles, na Mostra Internacional de Cinema.

Amigos e conhecidos envolvidos no projeto: Pedro Paulo (diretor de arte), Silvia Hayashi (montagem), Clara Averbuck (textos), ou seja, bons motivos para ir.

O filme é uma adaptação dos livros “Máquina de Pinball” e “Vida de Gato”, da Averbuck, além de textos de sua autoria publicados na internet e em seu blog.

Vitor Angelo que estudou cinema e tal, sabe que quando eu saio de um filme, quase sempre repito: Não poderia ter menos 30 minutos??? Pois é…

nomeproprio.jpg

Tudo começa bem, com a ótima Leandra Leal. Gosto dela. Ela é Camila, uma escritora que expõe sua vida num blog literário. É interessante como visualmente o texto aparece no filme, que invade a tela na medida que Camila escreve sobre os infortúnios de sua vida amorosa.

Tudo é muito intenso. Intenso até demais. O filme ganharia alguns pontos com um pouco mais de humor, como na cena que ela dopada de anfetaminas começa uma faxina que inicia na cozinha e acaba nas escadarias do prédio.

Para quem escreve blog, muitas cenas fazem sentido. Pensei a certa altura que deveria mudar os rumos do meu: ela consegue até um fã que paga o aluguel para ela, presentes de um chá de panela virtual. Hummmmm… Porém, lá pelas tantas, o filme degringola. Ela conhece ao vivo o homem com quem ela troca emails, ele comenta cada um dos posts do blog dela, enfim, seu homem perfeito.

A partir desta experiência, ela finalmente consegue escrever seu tão sonhado livro. Aí uma duplicidade entre Camila “real” e Camila “personagem” se cruzam até o desfecho constrangedor. Se a Camila “real” tivesse seguido o que disse quando cruzou com seu homem perfeito, o filme poderia ter tomado um rumo melhor: “Não quero te conhecer, quero continuar com meu Daniel. Daniel que eu construi”. Mas não…

De qualquer forma, o blog tem seu primeiro retrato no cinema brasileiro, confirmando sua importância no cenário urbano. Ah! Não é pouco, é?

P.S. Blog tem disso, gente que não entende de cinema e escreve sobre…

Começa hoje (30) a IV Semana de Moda e Cultura

livcultura.jpg

Não pára, não pára, não!!! + um evento de moda. Haja agenda livre. A Livraria Cultura do Conjunto Nacional — aquele playground literário, projeto do Fernando Brandão — faz a quarta edição da Semana de Moda e Cultura. Com aqueles horários de arrepiar qualquer um. Hoje tem palestra e noite de autógrafos do livro Alô Chics da Glória Kalil. 18h30!!!

Dia 31, é a vez do estilista Walter Rodrigues falar sobre indentidade na moda brasileira. Um pouco mais tarde…19h. Às 20h30 um tema que me interessa: “Moda e arquitetura – Possibilidades de relações” com o historiador de moda João Braga. No dia 01/11, às 19h Lino Villavetura conta sobre sua especialidade, a criação artesanal, seguido pela estilista Giselle Nasser que discorrerá sobre jovens criadores.

Tudo é grátis, porém o anfiteatro da Livraria tem 166 lugares.

Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.

Junte-se a 41 outros seguidores