TUDO JÓIA?

Esta matéria que escrevi para Revista de Moda começou aqui no Fora de Moda, quando pedi indicações de designers de jóia. Recebi várias indicações bem bacanas. Mandei 2 textos para lá, um se a edição ficasse mais curta e outra, que é como foi publicada.

Mesmo sendo o mesmo assunto, acabaram tendo tratamento diferentes. A que foi para as bancas os designers estão em primeiro plano, esta a discussão sobre o mercado, os problemas que eles enfrentam e como eles se diferenciam, é a tônica da matéria.

 

TUDO JÓIA?

Ricardo Oliveros especial para Revista de Moda

O velho ditado “nem tudo o que reluz é ouro” cai como uma luva para as novas criações de jóias. Desenho exclusivo e materiais inusitados fazem parte da fórmula usada por novos designers de jóias para sacudir o mercado de luxo, que não vive somente cravejado de diamantes, ao contrário do que a maioria de nós, simples mortais, imagina.

A Revista de Moda conversou com Jussara Romão, Floriana Breyer, Guilherme Marin e Carlos Godoy, Juliana Pellegrini, Camila Sarpi, Thais França para saber em que pé está o setor, quais os problemas que eles enfrentam e quais são as tendências de um mercado que não quer ser tão inacessível.

Hoje não se compra jóia só pelo seu valor intrínseco, mas pelo conceito que está sendo colocado na peça. Nosso grande desafio é criar um novo status para a jóia“, revela Juliana Pellegrini.

jpel051.jpgjupel061.jpgjpel062.jpg

A delicadeza do design premiado de Juliana Pellegrini

Valorizar mais o desenho do que a quantidade de ouro que a peça possa ter, é uma tendência mundial. Isto abriu espaço para o emprego de materiais inusitados como madeira, renda, pedras brutas.

No Brasil, as jóias movimentaram US$ 2.600 milhões em 2006, gerados por 16.000 empresas, de acordo com o Instituto de Gemas e Metais Preciosos. Porém, todos os entrevistados são unânimes em dizer que o mercado é bem conservador.

“O Brasil tem maravilhosos designers de jóias que não tem espaço dentro das empresas devido ao alto conservadorismo e o medo de inovar do mercado, mas isso aos poucos tem mudado”, explicam Carlos Godoy e Guilherme Marin.

mok.jpg

Broche em Mokume-gané da dupla Carlos Godoy e Gui Marin (MÖK)

Jussara Romão, que trabalhou na revista Elle por vinte anos, abandonou as páginas de moda para se dedicar exclusivamente a sua marca de jóias, engrossa o coro: “Se não fossem os novos designers os avanços na área não aconteceriam. As grandes joalherias preferem apostar nas vendas, não são arrojadas. A nova idéia é ter algo único e exclusivo“.

jussa.jpg

Anéis com pedras não lapidadas de Jussara Romão e Wolf Knaip

TUDO JÓIA!

Para manter o status de jóia em suas criações, cada um encontrou um traço particular. Camila Sarpi diz que seu diferencial é usar madeiras em extinção: “reaproveito móveis, e por exemplo, um pé de banquinho pode virar jóia, misturada com ouro e pedras brasileiras“.

camila.jpg

A madeira reciclada na peça de Camila Sarpi

A renda de bilro, presente nas peças de Thais França, trouxe reconhecimento internacional à designer, que comercializa suas criações nos Estados Unidos, França, Itália: “Sinto-me atraída pela pesquisa de materiais novos, inusitados, contrastantes, por vezes, quase inconciliáveis“.

thais.jpg

Rendas e tramas no colar de Thais França

Mök! e Juliana Pellegrini, em busca do desenho único, utilizam uma antiga técnica japonesa, o Mokume-gané. “É uma técnica utilizada na fabricação de espadas dos samurais. Consiste em misturar metais de diversas cores e propriedades, criando uma quantidade infinita de padrões que acabam tornando nossas peças únicas“, conta Carlos Godoy.

alian.jpg

Repare no desenho abstrato que resulta da fundição de diferentes metais na aliança da MÖK

Nem tudo é só matéria. Recuperando o sentido original das jóias da Antiguidade, que eram objetos mágicos de proteção, Floriana Breyer declara: “todas as peças passam pela minha mão e nelas deposito muita energia, talvez por isto funcionem como amuletos. Quem tem alguma poderia falar melhor disto…”

flo1.jpg

Poderoso brinco de madrepérola de Floriana Breyer

6 Comentários

  1. Ricardo, eu adorei sua matéria na Revista Moda. Adorei seu texto – super leve…a Jussara tá ótima na foto (com um All Star bacanérrimo). Tava na dúvida de quando seria publicada a revista e aí pedí pra Camila Yahn me dar um toque da saída…(coleciono a revista desde o número 1, quando a Palomino editava)
    Parabéns.

  2. […] porque ela não conseguiria, tão cool que ela é. Conheci a moça fazendo a matéria Tudo Jóia para a Revista de Moda da Folha de São Paulo. Na época relatei que eu era muito cru em termos de […]

  3. […] Ano passado, ela foi uma das estrelas na matéria que fiz para Revista de Moda sob o título Tudo Jóia?. A loja também lança o novo perfume de Marc […]

  4. […] já tinha estrelado minha primeira matéria para Revista de Moda da Folha de São Paulo, Tudo Jóia? Ela merece todo o sucesso do mundo! […]

  5. Gostaria de comprar esse anel de madeira…como faço?

  6. oi gostaria do contato ou site da designer regina lemos, vc conhece?


Comments RSS TrackBack Identifier URI

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s