SPFW:: Isabela Capeto inicia delicadamente a semana de moda de SP

Eu tinha uma implicância do nada com as roupas da Isabela Capeto. Achava tudo muito folk. Um dia passeando no Bon Marché, em Paris, vi a arara dela do lado da Marni e Chloé e comecei a olhar, e deu um certo orgulho, sabe como? Duas marcas hipercopiadas por aqui e aquelas roupas bordadas, artesanais, quase pueris lado a lado disputando a atenção de várias mulheres chiques que passavam por lá.

vistageral3.jpg
Caixinha de música foi a fonte de inspiração de Alberto Reanult para Isabela Capeto

Me senti bem brasileiro, no pior dos sentidos. “A gente só dá valor aquilo que faz sucesso lá fora”, ficava martelando minha cabeça. Hoje, foi a primeira oportunidade de rever o trabalho da estilista carioca depois desta experiência. Ela lá, sorridente, paciente, explicando cada detalhe das suas inspirações.

Quer saber? A coleção é a cara dela, só que com toques mais urbanos. Vários casacos que devem virar objeto de desejo das francesas e japonesas e nos 40 pontos-de-venda espalhados pelo mundo que Capeto vende.

vistageral.jpg
20 looks giravam em velocidade lenta no cubo de espelhos

Em vez de desfile, Isabela preferiu fazer uma instalação na sua loja. No pátio que existe na parte detrás da loja, o diretor de arte e cenógrafo Alberto Renault fez o que ele chama de “uma grande caixa de música, destas que a gente dá corda e a bailarina dança”. Um cubo todo de espelhos com 20 looks exibidos em manequins que giravam lentamente, ao som da trilha sonora feita pelo DJ Gustavo MM, que lembrava o som de um rádio que a gente muda de estação a toda hora.

trenchestampado.jpg
A estampa de prédios desenhadas por Isabela Capeto em até janelas vazadas

A instalação funcionou muito bem. A baixíssima velocidade em que os manequins giravam, possibilitava ver de perto todo o trabalho de Isabela Capeto. Cada um dos looks apresentados tem camadas e camadas de informações. A sobreposição de tecidos e texturas, padronagens e estampas desenhadas pela estilista, bordados, aplicações.

japonamilitar1.jpg
Japona era o termo usado na década de 70 para definir um casaco de nylon

Destaque para os casacos, como um belo trench-coat em chintz encerado, que dá uma impressão de impermeável muito leve, com estampa de desenho de prédios e casas; a versão da clássica jaqueta perfecto em xadrez de couro preto e branco; outro feito de pequenas almofadas recheadas de acrylon com mangas destacáveis; e por fim, uma japona 7/8 com estampa levemente militar em nylon.

assessorio2.jpg
Colares com vários penduricalhos, até eu usaria

Na linha eu teria fica para os colares cheios de penduricalhos como aviões, chaves de hotéis, placas , além dos clássicos da marca como amuletos e corações. E prestei atenção nos sapatos, que nunca olho. Os modelos oxford com ou sem salto são o que há na próxima estação.

sapatooxfordsalto.jpg
Sapato tipo oxford masculino com salto

LEIA MAIS:

A GRANDE CAIXA DE MÚSICA DE ISABELA CAPETO

1 Comentário

  1. sou rica, rica, rica de marrais de si!


Comments RSS TrackBack Identifier URI

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s