SPFW: Balanço do segundo dia

Começo agradecendo a todos as sugestões para o nome da minha coluna no Jornal do SPFW!!! Ontem teve a primeira edição, que eu gostei muito, apesar do trabalho que dá. Primeira fila definitivamente não é o meu foco. Entre Gisele Itiê e Clo Orozco prefiro conversar por muito tempo com a segunda, e foi isso que eu fiz no desfile da Forum Tufi Duek.

Não tenho o humor e a leveza certa de uma coluna social. A única coisa que eu sei, é que fiz o melhor que eu pude, ok? O nome da coluna: ÚLTIMO GRITO.

No segundo dia dois destaques absolutos: Maria Bonita e Zoomp.

Maria Bonita mostra com quantos cardigans se faz um bom inverno

Danielle Jensen gosta de trabalhar com poucas idéias e desenvolvê-las ao máximo, principalmente clássicos e ir desconstruindo até chegar em uma nova interpretação da peça. O foco desta vez são os cardigans e o padrão “argyle”, de losangos multicoloridos (inspirados no tartan do clã escocês de mesmo nome).

O desfile teve sua trilha executada ao vivo por Adriana Calcanhoto que cantou “Eremita” e “Music” tocando cello. A idéia funcionou muitíssimo bem e deu o tom exato, para a coleção que aparentemente sóbria.

Depois de Herchcovitch, é a vez de Jensen exercitar sua geometria. Os abotoamentos de seus casacos de lã, seguem a diagonal do padrão escolhido,que ora se justapõem em diferentes tamanhos, ora vão sendo dissolvidos até que ganhem um desenho mais orgânico.

A ousadia surge com o uso de mangas sobressalentes que servem como amarração para peças ou cachecóis, que dão a impressão de ser uma peça sobre outra.

Neste Inverno várias marcas estão apostando no uso de casacos como vestidos. Aqui parece que os vestidos têm a forma de casacos. É uma operação simples, mas que nunca parecem algo que não são.

A única coisa que parece ser outra é a impressionante organza 100% seda que ganha efeito plastificado, ficando com cara de nylon. Macacões, calças e camisas usam este material. Nosso olhar se deixa trair por alguns instantes, até que você começa a pensar que não existe nylon com aquela leveza e caimento. Temos que esperar até a hora de terminar o desfile e perguntar para estilista que tecido é aquele. Mesmo vendo de perto, é difícil acreditar.

A estréia de Alexandre Herchcovitch na Zoomp

Quando assumiu o comando criativo da Zoomp, Herchcovitch prometeu que seu foco seria o jeans. Fez muito mais que isso, pesquisou os arquivos da marca e procurou trazer de volta o brilho do raio, que no século passado foi uma das maiores grifes de streetwear da nossa história.

Os jeans apareceu em três\nversões: um com textura feita a partir do ponto cruz, outro com um belo tom de azul profundo e o terceiro com efeito de micromatelasse. O efeito levanta-bumbum,graças a uma modelagem criada por Renato Kerlakhian e que também ajudou a construir a fama da Zoomp estava presente em calças e macacões justíssimos. Em contraponto, casacos mais volumosos davam equilíbrio na silhueta e não deixavam a mulher como simples poposuda de plantão.

Na edição do desfile, estas peças eram entremeadas por vestidos curtos, alguns com jogo de transparências, que ganharam toque sofisticado com pregas e puxadores estrategicamente colocados. Apesar de eu achar que era desnecessária esta linha. Marcas de jeanswear com a própria Zoomp, Ellus e Forum nos anos 90 começaram a flertar com uma linha mais sofisticada de roupas e acho que foi aí que elas perderam a mão. Posso estar enganado, mas isso vou ter que fazer um outro post só para falar disso.

E não acabou por aí. Modelos em couro negro quase fetichistas ganham toque retrô com o ponto cruz, que se nos jeans são texturas, aqui assumem sua porção florida, como nas tapeçarias que nossas avós faziam em seus bastidores.

Para os meninos, destaque para as inúmeras jaquetas + esportivas e + sequinhas ao lado de outra alcochoada, mais volumosa, daquelas que você compra e reza para que faça aquele frio para você usar até por cima de um terno, substuindo de forma contemporânea o sisudo trech-coat.

5 Comentários

  1. bi, eu só quero passar o inverno com um casaco da zoomp herchcovitch!!!
    ele veio arrasando, hein? a coleção feminina dele tá super tb.

  2. Concordo demais contigo… eu amei tanto o desfile da Forum ontem que queria indicar o Tufi Duek para a Cori. Talve seja a forma que as marcas jeanswear tentam “sofisticarem-se” e combater a entrada da Diesel e cia. Mas para mim não funciona, jeanswear sofisticado é jeanswear bem feito, bem lavado, bem modelado, com um tecido com uma construção bacana.

  3. Finooooooo
    Último grito é a sua cara mesmo!

    E eu tb conversaria com a Clô, ao menos o assunto seria mais culto, não é?

    Beisous

  4. Adorei cruzar contigo a hora que vc tava indo para o André Lima!

    Tua energia é ótima!!

    bjo grande

  5. biiiii to sem seu e-mail e telefoneeee
    amanhã (segunda-feira, dia 21) é meu b-day e te espero aqui em casa a noite. me liga? ou manda e-mail?
    bjo!!!!


Comments RSS TrackBack Identifier URI

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s