SCMC 17 :: Renaux mostra com quantos tecidos se faz uma coleção

hering3.jpg
Escrevi mil palavras, algumas boas ou ruins, mas no final o que importa é isso, gente feliz como as meninas da FURB

Até agora já estava bem feliz em cobrir o evento e descobrir um outro eixo de moda tão importante como os do Rio e São Paulo. Foi muito importante vivenciar uma experiência que não está preocupada com os resultados imediatos e sim com o futuro comum para empresas, que poderiam estar competindo entre si e se juntaram em prol de um bem maior.

Muito boa a sacada do Cristiano Buerger da Tecnoblu, ao lado do Mario Queiroz de pensar um evento voltado para a descoberta de uma identidade, de um design com cara de Santa Catarina. É ótimo contratarem o Carlos Ferreirinha para coordenar o projeto. Só de presenciar isso estava de bom tamanho. Aliás, excelente. Claro, que tivemos altos e baixos como em qualquer outro lugar e atividade, faz parte do processo e mesmo assim, os alunos e as empresas lucraram mais do que imaginam. E eu aprendi muito por aqui.

______________________________________________________________________________________________________________________

Mas o melhor estava por vir: o desfile-sensação da Renaux View desenvolvido pelos alunos da UDESC. É para estes momentos que a gente sempre espera. Superlativo não? Pois é. Durante todo o evento procurei sempre focar que estavamos vendo trabalhos de estudantes, que o processo é que importava e não o produto, e todo este blá, blá, blá todo.

re1.jpgre2.jpg

Aí surge na passarela um vestido sem mangas muito conceitual que causou aquela sensação boa de estranheza, sabe como? Uma sucessão de vestidos-casulos foi confirmando que estávamos frente a algo muito especial. Quase poético na sua idéia de algo que não é para ser usado ainda, funcionando como uma metáfora muito sutil de toda a idéia do SCMC.

re3.jpgre4.jpg

Se as coleções apresentadas aqui não são produto comercial, fazem parte daquilo que descrevi no começo, então o melhor é apresentar cápsulas que um dia poderão ser abertas e reconhecidas com toda a sua força. Porém, mais do que esculturas que poderiam ser exercícios inteligentes, a coleção faz a jus a máxima do americano Louis Sullivan, a forma segue a função (“form follows function”), uma das linhas-guias da arquitetura moderna.

re5.jpgre6.jpg

Trocando em miúdos. Mesmos com looks absolutamente experimentais, eles ainda têm a função de apresentar a matéria-prima da marca para quais estavam trabalhando, no caso uma empresa têxtil. E não é qualquer uma, não! A Renaux desenvolve tecidos para estilistas como Alexandre Herchcovitch, Glória Coelho, Marcelo Sommer e Priscilla Daurolt, entendeu o peso?

re91.jpgre10.jpg

Isso foi o golpe de mestre. Ao invés de esculturas, as vestes funcionaram como um mostruário poderoso das possibilidades de cada tecido, cada cor, cada estampa apresentada. Um trabalho de investigação do comportamento dos tecidos em diferentes modelagens e sobreposições. Um estudo sofisticado de cartela de cores.

re7.jpgre8.jpg

Neste laboratório, teve lugar para o poderoso look formado a partir de bolhas que demonstrava como um xadrez “sofre” alterações quase óticas dependendo do seu emprego. Ou como no final, que num único modelo estão presentes todos os tecidos utilizados na coleção, numa edição-primor de texturas e cores.

jen.jpg

Depois de ver e rever o desfile, fui no blog do Romeu, companheiro de cobertura, para ler suas impressões e ele descobriu que o ponto de partida da coleção foi o trabalho da artista Jen Stark. Claro, cliquei no link que ele dá e fiquei mais pasmo ainda. A equipe de criação soube dialogar com a obra da artista da mesma forma que a Rita Wainer fez como o Bruno 9li.

As equipes que vão participar das próximas temporadas já tem um desfile paradigma por aqui. Não um modelo fechado, mas inspirador.

A coleção foi desenvolvida por Ana Vivian, Kiara Victor, Glaucia Cechinel e Paula Hemm da UDESC. Prestem atenção nestes nomes! E como bem lembrou a Paula, vale a pena mencionar Carlos Lamarque e Jean Gengnagel, que desenvolveram uma belíssima trilha sonora para o desfile. Aliás, o Lamarque também é estudante do Centro de Artes da UDESC, e tem o Sonido Quarteto.

Não resisti e pirateei o vídeo feito pelo Romeu:

P.S. Me arrependi de não ter pedido o boné listrado de azul usado pelos povo da Renaux, afe!

Anúncios

7 Comentários

  1. Fico muito feliz em acordar em uma manhã cinzenta e receber surpresas.coloridas por aqui.
    E lembrando {como Aninha comentou em outro lugar} que a coleção “foi feita a oito mãos” por: Ana Vivian, Kiara Victor, Glaucia Cechinel e a pessoa que vos fala {Paula Hemm}.
    É imprescendivel, não deixar de cometar sobre os meninos da trilha sonora, já que esta foi construida junto a coleção: Carlos Lamarque e Jean Gengnagel.

    Obrigada,
    P.

  2. Fico muito feliz em saber que nosso trabalho foi reconhecido e o melhor de tudo: entendido. É isso que nos dá forças para continuar e querer buscar sempre o melhor.
    Como diz o próprio SCMC, tentamos mostrar que Santa Catarina tem design de moda sim! É fato que há vários estudantes talentosos nos cursos de moda do estado apenas esperando por uma oportunidade e apoio das empresas! Agradeço aqui a toda a equipe do Fora de Moda pelos elogios à nossa coleção.
    Aproveito também para agradeçer as meninas : Kiara Victor, Ana Vivian e Paula Hemm. Ao pessoal da Renaux View por ter viabilizado todos os nossas idéias e ao curso de Moda da UDESC!

    Glaucia Cechinel – Equipe UDESC/Renaux View

  3. Eu não podia deixar de comentar…
    Nossa que idéia original pessoas! =)
    Simplesmente fântástico e lindoooo…

    PARABÉNS Udesc/Renaux View

    Joana Frainer

  4. Arrepender pq? Me mande seu endereço que eu envio um boné pra vc. Mando até uma sacola xadrez, que vc não teria ganhado se ganhasse o boné no dia!!!

    abraço,
    Roberto

  5. Oliveros, sou assessora de comunicação da RenauxView. Repassei sua crítica aos diretores da empresa, que ainda estão extasiados com o desfile. Quando precisar de informações sobre a empresa, me escreva. Espero que você tenha recebido nosso jornal no press kit. Abraços!

  6. Acredito que quanto mais resistência nos exige o caminho, mais nos esforçamos para conseguir romper a barreira da resistência. Sem dúvida nenhuma este foi um projeto desafiador. Uma superação pessoal e uma grande experiência para nossa futura profissão. Também foi uma grande responsabilidade. Mas nossa equipe esteve sempre fiel ao pensamento primeiro do SCMC, e pelo menos nele estivemos unidas e confiantes. Desde as primeiras palestras estávamos absorvendo que é preciso mudar e abandonar velhos hábitos se queremos crescer.

    E o que você escreveu a respeito da metáfora sutil, não é só no Projeto SCMC que acontece. Na medida em que nos aprofundamos no processo de materializar uma idéia em coleção, nos aproximamos tanto dela, que chega ao ponto de não conseguirmos perceber a sutileza da mensagem transmitida. A sintonia e a coerência entre o título da coleção, o momento que está sendo vivido pela empresa, e nós mesmas na construção de futuros profissionais que seremos está interligada a esta metáfora. E só agora, depois que tudo passou que com sua ajuda compreendi o tamanho desse projeto e a mensagem que estamos transmitindo através da coleção.

    Foi exaustivo, cansativo, a ponto de quase desistir. Madrugadas, madrugadas, dias e dias trabalhando desde o conceito inicial até o último ajuste nas peças. Mas hoje, depois deste reconhecimento que estamos sentindo desde domingo, da sensação de ter valido a pena eu digo que passaria por tudo isso novamente. E mudou algo na minha cabeça, nas minhas colegas de equipe, na empresa, e um pouquinho também em quem assistiu, tenho certeza.

    Fica aqui minha força para os próximos participantes do projeto, para as empresas também. Que elas não desistam do potencial dos alunos, e que os alunos não desistam apesar das dificuldades que existem pelo caminho.

    Um abração para a RenauxView que confiou em nós, apostou no nosso potencial, e nos deu grande apoio durante toda construção da coleção “Prefiro Linhas Tortas”.

    Obrigada Ricardo Oliveiros pela crítica positiva sobre nosso trabalho.(e pelas fotos!!=D)

    Ana Carolina Vivian

  7. Bom dia,

    Adorei seus comentários e fico feliz que você gostou, a RenauxView trabalha para que seus tecidos alcancem sempre mais que as espectativas, assim como Ana Vivian, Kiara Victor, Glaucia Cechinel e Paula Hemm da UDESC e a Eliana Gonçalves e Valdirene (o qual tive contato direto) excepcionais profissionais e maravilhosas pessoas, que fizeram um excelente trabalho e de surpreendente criatividade.
    Vendo seus comentários, ficamos felizes de que nosso trabalho esta, com certeza, atingindo nossas metas, e que nosso esforços para criar soluções e modas, estão sendo alcançados.
    P.S. Se me encaminhar seu endereço ficarei feliz de encaminhar um boné azul.

    A RenauxView agradece seus elogios.


Comments RSS TrackBack Identifier URI

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s