FASHION RIO :: Thais Losso volta mais original do que nunca

Fazia muito tempo que eu não via uma coleção da Thais Losso. Ela passou por tantas marcas como Zapping, Cavalera e Sommer e por mais que a gente reconheça seus traços mais marcantes, ela estava há muito tempo a serviço dos outros.

Muito legal este formato do container. 4 marcas com coleções especiais, pequenas, enxutas.Ontem teve a apresentação da Rita, na medida. Hoje da Thais, mostra que o projeto é bem mais interessante do que eu imaginava. Marcas menores não tem a mesma estrutura das grandes e um desfile pode ser um tiro no pé. Vai que faz sucesso e depois não tem nem produção, queima no mercado, não é?

A estilista disse que foi por causa deste formato que ela aceitou fazer. Ela conseguiu o apoio da Picasso Têxtil para os diferentes tecidos que ela precisava para fazer composições que achei que seriam bem mais estranhas, já que seu tema era Betty, a Feia.

Conversando com ela no camarim, o seriado foi um ponto de partida para pensar esta coisa latina, de extremos, de misturas. Ela pesquisando os bordados mexicanos percebeu que eram muito próximos daqueles tradicionais do Nordeste brasileiro.

Aí começou a formar um pensamento de um Brasil muito mais latino do que este meio europeu que muita gente quer acreditar. Então, a mistura não era só de tecidos com estampas e cores díspares com o da Betty Suarez, e sim de mulheres “brejeiras” de cabelo crespo também, como alguns personagens da Sonia Braga.

Este encontro caipira foi bem legal. Mesmo porque diz ela que está questionando o feio e o bonito, mas no fundo fiquei pensando que a coisa era mais embaixo. A gente tem muita vergonha de ser caipira, deste tipo de influência. Ainda mais na moda, não é? Mas quanto mais a gente se esforça para ser o que não é, mais jeca a gente fica. Esse é meio que o mote do seriado e por isso faz tanto sucesso.

O que adianta estar vestida com o último grito da moda, se não tem conteúdo verdadeiro para colocar aquela peça. Vira tudo casca. Vira um bando de gente igual. Não sei se tem alguém disposto a usar os vestidos literalmente fofos da Thais. O shape não é sequinho, vem ora evasê, ora mais bufantes, mas bem curtinhos. Tem esta mistura de xadrezes com florais, bordados naifs. Tem cores desavergonhadas. Coleção pequena no tamanho, mas grande na idéia. Sem perder o bom humor, jamais.

3 Comentários

  1. Que delícia de blog !
    Não tenho mais paciência com os “oficiais” … Vou acompanhar tudo por aqui !

  2. “A gente tem muita vergonha de ser caipira, deste tipo de influência. Ainda mais na moda, não é? Mas quanto mais a gente se esforça para ser o que não é, mais jeca a gente fica.”

    Excelente observação; de considerável relevância!

  3. […] fotos no Fora de Moda, onde o Ricardo Oliveros analisa (lindamente) os dois desfiles, da Rita e da Thais. Pelo olhar dele dá pra gente pensar melhor nos temas e princípios e evoluções de cada uma […]


Comments RSS TrackBack Identifier URI

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s