CFW: Balanço do terceiro dia

No terceiro dia teve mais uma rodada dos novos talentos, peças mais atersanais vindo de cooperativas e Ongs, e os desfiles das marcas mainstream como Mara Mac, Patachou, Gata Bakana de SC e Lei Básica do ES. Se em termos de moda foi mais fraco, em termos de pensamento sobre o futuro da moda foi ótimo.

Novos talentos do CFW

O Eliel Salustiano tem muito chão pela frente ainda. Desfilou uma coleção do tipo ultrafemininasexy sem grandes novidades. Teve uma mistura da sensualidade carioca com alguns toques de geometria e arquitetura que não se desenvolveram com profundidade. Além de problemas com a modelagem que fez com que uma das modelos tivesse seu seio exposto.

Já Sandra Lima fez um daqueles desfiles conceituais, sem trilha sonora só com uma voz lendo o poema Simulacros, de autoria da estilista ao fundo, onde as modelos caminhavam com aquele andar lento de dar sono.

Ela deu muita atenção a coleção de acessórios de prata desenvolvidos em conjunto com a Cooperativa dos Produtores de Jóias do DF, a Cooperaurum. Bom, todos aqui já sabem minha opinião sobre desfiles de acessórios.

Neste caso, o que chamou atenção mesmo foram as construções geométricas de seus vestidos, bem interessantes do ponto de vista construtivo. Porém, com o foco nos acessórios, apresentou somente modelos em preto, que resultaram meio monótonos e conceituais demais. Fiquei com vontade de ver mais o trabalho dela como estilista do que como designer de acessórios.

Moda artesanal da 100% Cerrado, Cia do Lacre e Talentos do Brasil

A aliança entre moda e responsabilidade social não é novidade, mas é um caminho difícil. Como fazer uma imagem forte de moda e ao mesmo tempo desenvolver uma mão de obra e idéias que fujam do padrão muitas vezes ingênuo ou meio hippie?

Lino Villaventura, Osklen, MOfficer, Ronaldo Fraga, entre outras marcas, conseguiram avançar nestas alianças, todavia teve uma vontade neste sentido da parte deles. Já as inúmeras ongs e cooperativas nem sempre tem acesso a este tipo de estrutura.

Neste sentido, a Cia do Lacre parece que conseguiu um avanço. A cooperativa criada em 1997 reune 120 artesãs e outras 120 mulheres em fase de treinamento. A marca comemora 11 anos, por isso o desfile no CFW, assinado pela estilista Michele Lodi, trouxe peças do acervo.

Muito interessante o trabalho com lacres de latas de alumínio. A idéia de reciclagem é sempre bem vinda em termos ambientais, e é bom quando a moda faz a sua parte. Uma bolsa grande, por exemplo, pode levar até 10 mil lacres na sua confecção.

A Talentos do Brasil se apresentou pela segunda vez no Capital Fashion Week. O programa é coordenado por Patrícia Guimarães Mendes, que desenvolveu a marca em 2005 e faz um intercâmbio entre estilistas renomados, como Ronaldo Fraga e as comunidades de agricultoras-artesãs de 12 Estados do País. O objetivo é criar marcas e desenvolver o empreendimento dos grupos locais.

A coleção é composta por acessórios e roupas feitas com matérias-primas extraídas da natureza de forma sustentável. Palha de buriti, babaçu, folha de tururi, couro de peixe, juta, sementes, sisal, sobras de madeira, látex, bagacilho de cana, algodão orgânico, lã, crina foram algumas das matérias-primas utilizadas.

Participando pela terceira vez da semana de moda de Brasília, as gêmeas Sônia e Sandra Reis tem a Ong 100% Cerrado que se preocupa não só em promover o trabalho local, com cerca de 30 artesãs que desenvolvem as peças, mas também com meio ambiente. Toda a matéria prima é ecologicamente correta, do tecido ao tingimento.

Eu sei que pode parecer fútil sentar num desfile e dizer isso. Todavia já que elas conseguiram após muito trabalho chegar onde chegaram e todo o projeto é importante, está no hora de investir mais em produtos ousados em termos de moda, assim como fez a Apoema, que virou darling das editoras de moda. Mas quando vemos um trabalho que dá certo,e têm possiblidades de crescimento, devemos falar, concordam?

A 100% Cerrado tem condições de desenvolver um trabalho em que deveriam deixar de lado um certo ar hippie meio naif, e investir numa sofisticação vindo da sua simplicidade. Certos materiais com o tecido de fralda, que é lindo principalmente quando amassado, poderiam resultar em modelos em moulage incríveis.

Anúncios

2 Comentários

  1. Adoramos as imagens.
    Amamos o vestido azul e branco…belíssimo!
    Beijocas

  2. essa matéria de lacres está incrível.


Comments RSS TrackBack Identifier URI

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s