3 lições que aprendi nesta semana

“Todas as coisas humanas têm dois aspectos… para dizer a verdade todo este mundo não é senão uma sombra e uma aparência; mas esta grande e interminável comédia não pode representar-se de um outro modo. Tudo na vida é tão obscuro, tão diverso, tão oposto, que não podemos nos assegurar de nenhuma verdade.” Erasmo – Elogio da Loucura, 1509

LIÇÃO 1: Que a gente tem que aprender a cair e levantar sempre. Que nada é tão definitivo ou verdadeiro assim.

“A verdade é contigência, busca, e a linguagem é a revelação” Wittgnstein, 1919

LIÇÃO 2: Que mesmo quando se chega a algum lugar, deve se lembrar de onde veio e que ninguém nasceu pronto

A experiência da alteridade (e a elaboração dessa experiência) leva-nos a ver aquilo que nem teríamos conseguido imaginar, dada a nossa dificuldade em fixar nossa atenção no que nos é habitual, familiar, cotidiano, e que consideramos ‘evidente’. Aos poucos, notamos que o menor dos nossos comportamentos (gestos, mímicas, posturas, reações afetivas) não tem realmente nada de ‘natural’. Começamos, então, a nos surpreender com aquilo que diz respeito a nós mesmos, a nos espiar. O conhecimento antropológico da nossa cultura passa inevitavelmente pelo conhecimento das outras culturas; e devemos especialmente reconhecer que somos uma cultura possível entre tantas outras, mas não a única.” (F. Laplantine, 2000:21)

Muito obrigado a todos pelos debates desta semana. Aprendi mais sobre muitas coisas, sobre a moda, pensei em outras tantas e no fim mais sobre mim mesmo e sobre os outros. Quase no final do meu inferno astral, presente melhor eu não teria! Daqui há pouco chego aos 44 anos sabendo dos meus limites e limitações. Sabendo que no fundo continuo super bahiana, quase tosco em muitos aspectos e sempre fã de personagens como o Jamanta e Barbosa.

Mas travestido de uma suposta elegância aprendida apenas tecnicamente e de uma suposta inteligência que é feita apenas pela capacidade de juntar coisas e por uma memória bem boa. De vez em quando tudo vem a tona e podemos ver claramente que não é nada disso que importa.

LIÇÃO 3: Que mesmo tosco ainda posso ser feliz!