3 lições que aprendi nesta semana

“Todas as coisas humanas têm dois aspectos… para dizer a verdade todo este mundo não é senão uma sombra e uma aparência; mas esta grande e interminável comédia não pode representar-se de um outro modo. Tudo na vida é tão obscuro, tão diverso, tão oposto, que não podemos nos assegurar de nenhuma verdade.” Erasmo – Elogio da Loucura, 1509

LIÇÃO 1: Que a gente tem que aprender a cair e levantar sempre. Que nada é tão definitivo ou verdadeiro assim.

“A verdade é contigência, busca, e a linguagem é a revelação” Wittgnstein, 1919

LIÇÃO 2: Que mesmo quando se chega a algum lugar, deve se lembrar de onde veio e que ninguém nasceu pronto

A experiência da alteridade (e a elaboração dessa experiência) leva-nos a ver aquilo que nem teríamos conseguido imaginar, dada a nossa dificuldade em fixar nossa atenção no que nos é habitual, familiar, cotidiano, e que consideramos ‘evidente’. Aos poucos, notamos que o menor dos nossos comportamentos (gestos, mímicas, posturas, reações afetivas) não tem realmente nada de ‘natural’. Começamos, então, a nos surpreender com aquilo que diz respeito a nós mesmos, a nos espiar. O conhecimento antropológico da nossa cultura passa inevitavelmente pelo conhecimento das outras culturas; e devemos especialmente reconhecer que somos uma cultura possível entre tantas outras, mas não a única.” (F. Laplantine, 2000:21)

Muito obrigado a todos pelos debates desta semana. Aprendi mais sobre muitas coisas, sobre a moda, pensei em outras tantas e no fim mais sobre mim mesmo e sobre os outros. Quase no final do meu inferno astral, presente melhor eu não teria! Daqui há pouco chego aos 44 anos sabendo dos meus limites e limitações. Sabendo que no fundo continuo super bahiana, quase tosco em muitos aspectos e sempre fã de personagens como o Jamanta e Barbosa.

Mas travestido de uma suposta elegância aprendida apenas tecnicamente e de uma suposta inteligência que é feita apenas pela capacidade de juntar coisas e por uma memória bem boa. De vez em quando tudo vem a tona e podemos ver claramente que não é nada disso que importa.

LIÇÃO 3: Que mesmo tosco ainda posso ser feliz!

9 Comentários

  1. Pense moda, lhe fez pensar mais coisas .
    Vivendo e aprendendo sempre , sempre..

  2. Talvez não venha contribuir em nada, mas:
    LINDO POST! (l
    (lições registradas! dá vontade de ctrl c ctrl v em tudo!)

  3. Post tao honesto! adorei!!!

  4. Ricardo,adorei esse post. Concordo com tudo que vc escreveu aqui. A vida é um eterno cair e levantar…que depende só de nós !!

    Abç e boa semana, Stuart

  5. acho a lição número 2 muito muito valiosa, oli, a mais valiosa de todas – e válida pra todo mundo. amei ter lido isso aqui. vc arrasa mais que to-do-mun-do quando fala de coração.😉

  6. Quem sabe de onde veio se levanta mais facilmente.

    LIÇÃO 4: O despir-se, mesmo que de palavras, é muito inspirador.

    Post de verdade.

  7. tu fala ao coração. o/
    obrigada!

  8. Oi Querido,

    Fortissimo vc ter citado Erasmus !!! Estava com ele na cabeca esses dias . “The Praise of Folly” eh babado! AInda mais em tempos de plutao em capricornio… com certeza sobreviveremos , bjos BB x

  9. nossa mergulhei agora!!!!!! é mesmo estranho as vezes nos iludimos que o “tempo” tem 1 início, meio e fim, uma frustação humana permanente de não sermos tão únicos como gostaríamos, mas agraciados pela capacidade de sermos infiltrados por outras experiencias, pontos de vista e estilos
    amei ler este post, forte como patti smith cantando Smells Like Teen Spirit ;))


Comments RSS TrackBack Identifier URI

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s