O network virtual funciona!

redes

Claro que redes sociais como o Orkut, Facebook e Twitter por aqui tem como premissa básica reencontrar os amigos perdidos em algum ponto da vida, fazer novas amizades em função de interesses próximos ou acontecem através de amigos de amigos, ou ainda lembrar dos aniversários que sempre esquecemos.

Não sei porque cargas d´água, talvez o desespero em função de acordos desfeitos, apelei duas vezes para as redes sociais na esperança de resolver com rapidez imprevistos de última hora.

A primeira foi com a necessidade de uso de uma piscina como cenário para um editorial de moda para o verão. Joguei a questão no Twitter e não é que em pouquíssimo tempo vieram várias indicações?

No mesmo dia, liguei para um amigo de uma amiga produtora virtual (sim, só nos conhecemos via internet) e ele se prontificou a emprestar sua bela piscina. Com as chuvas que não pararam em novembro, o editorial acabou não sendo feito, mas a lembrança de uma utilidade tão prática para o microdiário fez com que eu mudasse um pouco diante de uma coisa que eu não entendia completamente, confesso.

O Twitter tem um lado que acho estranho, tipo um big brother ou voyeurismo meio as avessas, sei lá. Muita gente posta suas pequenas frases de atos cotidianos, outros colocam links de coisas bem curiosas.

Eu nem acho minha vida tão interessante para ser seguido por tanta gente. Então, acabo colocando poucas mensagens, porque não soube que direção dar a esta ferramenta.

A segunda vez foi ontem. Apelei no Facebook para quem tinha um contato quente dentro de uma Escola de Samba para outro ensaio fotográfico. Meu querido Franz Ambrósio, dono do cult brechó, Minha Avó Tinha, que já me salvou tantas vezes no passado e com quem tive o prazer de várias aulas de história da moda, respondeu em menos de 10 minutos depois que coloquei a pergunta no meu perfil.

Levei menos de 30 minutos para fechar a história, já que o Franz além de conseguir o contato, telefonou e adiantou o assunto. Quando liguei, a vice-presidente de uma grande Escola de Samba já sabia de tudo e estava muito disposta a colaborar.

Eu sempre gostei da teoria do six degrees of separation. Acho sensacional a idéia que o que me separa de qualquer outra pessoa no mundo são no máximo outras 6 pessoas.

O que as redes sociais intermediadas pelo internet fazem é aproximar pessoas de uma forma mais rápida e eficiente. É claro que é preciso de um mínimo de dedicação, pois em qualquer relação, sem feedback ela não resiste.

Por falta de tempo, já que a profissão e seus compromissos,  a vida social real, e até este blog tomam mais tempo do que eu tenho. Fui desistindo então do fotolog, do orkut, mesmo o Twitter uso pouco. O Facebook tem tanta coisa e tanto gadgets virtuais que não dou conta mesmo.  

Mas confesso, que é como uma nova religião, daquelas que apelamos em momentos de desespero. Nestas horas, assim como uma oração com fé, vemos que funciona mesmo!

1 Comentário

  1. Você está descobrindo uma ferramenta extremamente eficiente my darling!!! só p vc ter uma vaga idéia, dentro da maioria das empresas as melhores vagas (e qto maior escalão) são ocupadas especialmente por pessoas indicadas dentro de uma rede de network. As vagas só vão à publico se não forem preenchidas dessa forma, na família temos alguns exemplos! e essa é só uma das “funções” da rede….como vc mesmo viu já deu certo em outras áreas….não sou maníaca por internet, mas q ela facilita muito nossa vida em alguns aspectos, não restam dúvidas!
    bjsssssss


Comments RSS TrackBack Identifier URI

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s