Chill out com Madonna

Na sexta fui para o D-Edge Concept na The Week. Me diverti tanto com os amigos, e acabou sendo tão boa, que muita gente acabou indo para o clube depois para um after surpresa. Saí de lá depois das 10h da manhã bem acabado.

Acordar no sábado foi um sacrifício sem fim. Um dia antes recebi a camiseta do camarote da Nokia, nem acreditei que Nossa Senhora do Mailing tinha atendido as minhas preces. Meu querido Leandro Matulja, da Agência Cartaz, conseguiu um par de convites.

Levantei da cama uma hora antes de pegar uma das vans que sairia da Daslu com os convidados do camarote. Tudo muito organizado, as vans não demoraram nada para sair e os motoristas sabiam um caminho alternativo para chegar ao Morumbi sem muito trânsito.

As vans paravam num estacionamento ao lado da entrada do estádio para as cadeiras numeradas. Um batalhão de pessoas do staff encaminhavam a gente até a porta do camarote. Para quem estava com mega ressaca, nada melhor do que pessoas dizendo o que a gente tem que fazer.

O camarote ficava nas cadeiras numeradas e era coberto. Ou seja, nem a chuva que caiu antes do show atrapalhou a vida. A infra-estrutura impressionou. Eles retiraram as cadeiras e colocaram megas almofadas para a gente se jogar com conforto. Tinha ainda 2 bares, um buffet de comidinhas, DJ, banheiro do lado e acesso a pista. Luxo.com.br

Encontrei meus companheiros de pista da noitada anterior: Claudio Magalhães, Erika Brandão, Serginho Sete e Thiago Ney, todos ainda de ressacón.

Para combater a ressaca nada melhor do mais bebida, né? Paul Oakenfold com aquela música de rave não fez nem cócegas na gente. Depois teve uma hora de espera para Madonna começar seu show. A gente ficava brincando, dizendo que nada melhor do que um chill out com Madonna.

Fui dar uma volta na pista e foi quando o show estava para começar. Sim, é de perder a respiração quano o cubo mágico começa a projetar imagens e se abre inteiro e ela surge no trono.

Tudo era como eu tinha lido e visto, mas mais forte vendo todo mundo ali no Morumbi. é um espetáculo grandioso, pop, tudo muito sincronizado, impressionante.

O momento mais bonito do show é quando o telão desce em forma de cilindro e um monte de formas de água fcam girando em volta da superstar cantando Devil Wouldn´t Recognize You. Não é dançante, é lírico e poético e aquelas projeções em volta dela emocionam de verdade.

Tem o momento gipsy meio chatinho no meio, mas nada demais. Ela está em grande forma mesmo, tira sarro de si mesma com as bailarinas vestidas de Madonnas de diferentes fases. Tem momento políticos, campanha de consumo consciente, muitos Ilove Brazil, I love São Paulo, e ela lá poderosa, carimática, levando toda a platéia nas mãos.

Eu sou fã de Madonna e ela não decepciona. Clichê, sim, mas ela é mesmo a rainha do pop. Agora é esperar passar a segunda ressaca. Afe.

1 Comentário

  1. […] O momento mais bonito do show é quando o telão desce em forma de cilindro e um monte de formas de … […]


Comments RSS TrackBack Identifier URI

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s