Yves Henri Donat Mathieu Saint Laurent (1936-2008)

 

Estréia da YSL em 1962

Ontem, dando aquela zapeada na TV me deparei com a notícia da morte do Saint-Laurent. Demorou um pouquinho para os sites darem a nota, mas hoje é a notícia do dia de todo mundo fashion. Hoje já está no ar, a história dele no famoso obituário do New York Times. Para quem não sabe, os principais jornais do mundo mantém uma seção atualizada sobre grandes personagens para matérias especiais de morte.

Para se ter uma vaga idéia do talento do criador, ele assumiu em 1957 a Maison Dior com apenas 21 anos, onde começou com 17 anos!!! Sobre a importância de Dior na vida dele, ele declarou: “Dior me fascinou. Eu nunca falava nada na frente dele. Ele me ensinou toda a base da minha arte. O que quer que aconteceu depois, eu nunca esqueci dos anos que passei ao seu lado”.

Em 1962, ao lado do eterno escudeiro-fiel Pierre Bergé, lançou sua própria marca, com seu nome, que ficou mundialmente conhecida pela sigla YSL. São tantos os clássicos lançados por ele, como a linha safari na década de 60, ou, que até hoje ganha novas leituras, o smoking feminino em 1966. Uma das grandes contribuições dele é essa, criar com imensa versatilidade, uma guarda roupa feminino prático, elegante, com muita inspiração masculina.

Em 1998, Saint Laurent decide se dedicar exclusivamente à alta-costura. Dois jovens estilistas se destacam no prêt-à-porter: Albert Elbaz, para a mulher, e Hedi Slimane, para as peças masculinas. Já sabemos o que aconteceu com eles depois da passagem pela YSL.

Um ano depois, o grupo italiano Gucci (40% da Pinault-Printemps-La Redoute) adquire o prêt-à-porter e os perfumes e coloca Tom Ford no comando. Como sabemos, não repetiu o sucesso que tinha feito sua fama na Guci. As relações com Saint Laurent foram ficando cada vez mais difíceis, que não concordava com os rumos que a marca tomava. Até que em 2002 foi anunciada sua aposentadoria.

Ele não fez por menos, em sua última apresentação de Couture, fez um desfile histórico como uma grande retrospectiva de suas criações. Vale a pena clicar no link para ver as mais de 200 fotos do desfile. Para que sua história não ficasse completamente perdida, foi criada por Bergé, a Fondation Pierre Bergé Yves de Saint Laurent que tem os croquis e as 5000 vestidos e 15000 acessórios do mestre. Eles fazem exposições e abrem os arquivos para pesquisadores. Hoje o site está bem congestionado, claro.

Além de tudo o que criou deixou várias frases históricas, mas fico com esta:

“Para ser bela, toda mulher precisa de um pulôver e uma calça pretas e estar nos braços de um homem que a ama”.

 

 

 

 

 

6 Comentários

  1. muito muito bom o post, adorei, oli. vai servir de referência pro post da oficina, como sempre. =)

  2. Olha, quando mudei o meu blog para o WordPress escrevi sobre a trajetória de YSL. Dei uma pincelada no melhor de sua carreira, na minha opinião, e ontem quando escutei a notícia o espanto foi geral.
    Fui tomado por uma tristeza cinza qe fazia par com o frio que estava em Santos.

    Sem dúvida uma perda maior ainda foi sentida quando ele saiu de cena na moda, em 2002.

  3. A frase que fecha o post é de uma sabedoria desconcertante.

  4. Meu… esse vídeo vale ouro.
    A frase que fecha o post é linda

  5. Adorei o post, vc é otimo em homenagens!!!AMEI a frase!!! sabido esse moço, hein!

  6. […] Dus Infernus no Fora de Moda no About Fashion no C’est Sissi Bon (ótemo!) no Prataporter no MyPreview (com link pra mais […]


Comments RSS TrackBack Identifier URI

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s