Casa de Criadores anuncia nova data e line up

Depois do embroglio das datas causado pelo Fashion Rio, que acabou encavalando com a Casa de Criadores, André Hidalgo conseguiu resolver seu calendário com o Shopping Frei Caneca e aproveita para divulgar seu line up.

Além dos já conhecidos destaques como João Pimenta, Walério Araújo, Gustavo Silvestre, ASH, tem a volta das marcas Gêmeas e da ADD. Cria do projeto LAB, André Phergon, que faz moda jovem masculina, desfila em carreira solo. Ivan Aguilar resolveu se apresentar somente no Fashion Rio.

Confira os desfiles da 23a. edição do evento que acontece de 28 a 30 maio:

Quarta-feira, 28/05/08

Intervenção Tudicofusi

Gustavo Silvestre

Attention Deaf Disorder (ADD)

Diva

Rober Dognani

Walério Araújo

Quinta-feira, 29/05/08

PROJETO LAB

Apresentação coletiva dos estilistas: Valencio Lemes, João Paulo Elias, Tony Jr., Marya Nasser, Der Metropol, Clarissa Lorenz, R. Rosner.

P´tit [por Anna O., Fernanda Padin, Heloísa Faria e Leonardo Negrão]

Marcelu Ferraz

Athria Gomes

João Pimenta

Sexta-feira, 30/05/2008

Gêmeas [por Carol e Isadora Foes Krieger]

Purpure [ por Weider Silveiro e Mark Greiner]

Ianire Soraluze

André Phergon

Prints I Like

Ash

Procura-se Produtor de Moda em São Paulo

Então, resolvi colocar um anúncio por aqui mesmo. Pensando muito sobre o assunto nesta semana, estou procurando novos produtores de moda para trabalhar comigo na Playboy. Como disse no meu post eu conheço vários stylists, mas poucos produtores de moda.

Na reunião de pauta ontem na Playboy conversei com eles e chegamos a mesma conclusão, nesta hora seria ótimo poder contar com poucos e bons produtores de moda para conseguirmos chegar na imagem de moda do Homem Playboy que estamos buscando.

Os requisitos básicos para a vaga são:

1. Conhecimento de moda masculina, tendências e principais marcas do mercado.

2. Bom relacionamento com as assessorias de imprensa

3. Ter uma boa agenda de prestadores de serviço

4. Organização, pois vai ter que lidar com várias coisas: pegar roupas, bookar modelos, maquiadores, ver transporte, alimentação da equipe, etc

5. Iniciativa. Não adianta nada ter tudo isso acima, se não sabe lidar com imprevistos, se faz somente o básico, se não traz informações novas.

Algum candidato ou candidata? Curriculo para oliveros@gmail.com

Karlla Girotto se une a Thelma Bonavita para workshop

Mundo sincronizado, não? Semana passada publiquei um texto sobre as relações entre Arte e Moda na trajetória de Karlla Girotto e eis que ela me manda um email divulgando seu workshop  ao lado da Thelma Bonavita intitulado: Mutantes na Sala de Jantar, que acontece entre 12 a 31 maio, três dias por semana.

Se você tem um projeto de pesquisa em moda, dança ou que se relacione com este universo, é uma oportunidade ótima. A estrutura do trabalho está dividido em aulas teóricas, acompanhamento da pesquisa, palestras e desenvolvimento do projeto.

O workshop acontece na House of Palomino, rua Mourato Coelho, 790, Vila Madalena. Maiores informações pelo telefone (11) 3813-0414.

Jussara Romão na Vogue Japão: uma rima feliz

Minha mais que querida Jussara Romão ganhou uma matéria de destaque na Vogue Japão. A editora Shizue Hamano esteve por aqui na temporada de desfiles de Inverno e de acordo com o site EP Costanza Pascolato foi a fonte de inspiração da matéria, que conta ainda com Antonio Bernardo, Jack Vartanian, Juliana Scarpa e H.Stern.

Jussara já tinha estrelado minha primeira matéria para Revista de Moda da Folha de São Paulo, Tudo Jóia? Ela merece todo o sucesso do mundo! Literalmente!

Instalação multimidia sobre moda é destaque da exposição no Sesc

Para relembrar os 40 anos do Maio de 68, o Sesc Pompéia abriga o evento “Vida Louca, Vida Intensa – Uma Viagem Pela Contracultura” com curadoria de Eduardo Beu, que conta com exposição cenográfica de 1300 m2, espetáculos de música, sessões de cinema e teatro sobre a contracultura, desde os beatniks até o movimento punk.

Um dos destaques da mostra é a instalação interativa do Dudu Tsuda intitulada “Vestir Contemporâneo – A grife da contracultura”. O projeto consiste de uma projeção de duas camadas. Na inferior, vídeos que remetem aos movimentos estudantis das décadas de 60 e 70. Sobre os vídeos, um ensaio fotográfico é projetado no momento em que o espectador entra neste espaço e interage com a instalação.

Eu ainda não fui na exposição, mas prometo contar mais detalhes mais pra frente. De qualquer modo dá para ir lá até o dia 22 de junho. Eu sempre adoro a forma como o Sesc apresenta seus eventos, acho que desta vez não vai ser diferente, afinal Jack Kerouac faz parte da minha formação, né?

Playboy#2: conceito dos editoriais

O conceito de todos os editoriais é “Um homem elegante, é um homem bem informado”. Existe agora um termo chamado menergy que é uma contraposição ao metrossexual, menos afetado, mais natural, mais real. Todos os editoriais têm isto como fio condutor.

Nas fotos levamos em conta certos elementos que remetem esta idéia de retorno e memória: rua de paralelepípedos, paredes desgastadas pelo tempo, ou no caso da moda cowboy rio Tietê, estrada de ferro, com tratamento de imagem acizentada para o prata (técnica tintype).

Os modelos das fotos procuramos este ar mais masculino, menos jovem, em algumas situações com barba por fazer, cabelos naturais, queixos fortes. Quando editarmos as matérias, tem uma seqüência que prepara o leitor aos poucos para chegar no editorial mais fashion.

Jeans e seus diferentes usos. O último o do cowboy. Como o guarda-roupa masculino é formado com poucas peças, vamos mostrar como elas são flexíveis, intercambiáveis. Então, uma combinação que aparece em um editorial, reaparece com uma leitura mais ampliada em outro. Por exemplo: na matéria dos jeans, o texto diz que um modelo stonado fica ótimo com camiseta e boots, no outro ele poderá ver esta combinação com o trench coat e mais a frente ele verá como fica com camisa xadrez e paletó de veludo cotele grosso na moda cowboy.

A música e o cinema foram a base das imagens da matéria sobre a gravata preta

The Black Tie
Fotógrafo: Rafael Assef
Produtor de moda: Chialin Chiang

Texto falando sobre os diferentes usos e significados da gravata preta na história, o seu uso como contraposição aos “gravatas brancas”, considerados tradicionalistas no século XIX, símbolo de elegância no começo do século XX entre astros do cinema como Rodolfo Valentino, passando como símbolo de poder e terror como uniforme nazista, a retomada pelos cantores de jazz (Frank Sinatra), Beatles. Volta nos anos 80 com os yuppies, anos 90 com Heidi Slimane na Dior Homme e no rock com Franz Ferdinand, Interpol. Ao final como usar o look sem parecer um segurança ou maitre de restaurante.

O fotógrafo Claudio Cubi em bisca do ângulo perfeito

Jeans: Qualquer hora, qualquer lugar
Fotógrafo: Claudio Cubi
Produtora de moda: Kika Cabreta

Página dupla com 10 jeans com diferentes lavagens: da mais escura a mais clara. Na foto os jeans estão lado a lado dobrados formando um composição horizontal.
Texto com sobre usos, combinações e situações: mais escuros mais elegantes, lavagens claras uso casual, stonados uso esportivo. Tem dados interessantes como 3 bilhões de peças fabricadas desde sua invenção por Levi Strauss em 1851, e que Brasil é o segundo maior fabricante e o segundo mercado consumidor no mundo.

Rafael Monteiro se concentrado para foto

Eterno Retorno
Fotógrafo: Pedro Molinos
Produtor de moda: Caio Garro

Abre página simples com um look completo: com três peças principais colete, blazer de 2 botões e trench coat, forma uma imagem elegante. Nas páginas seguintes as mesmas peças e seus usos formais, casuais e jovens.

O cavalo Geométrico acabou caindo do editorial de cowboy (snif!)

Go west
Fotógrafo: Renato De Cara e Christian Sievers
Produtor de moda: Caio Garro

Moda cowboy. Fiquei pesquisando o que de fato caracteriza um cowboy e o que me chamou atenção é a busca de novos caminhos, assim como nossos bandeirantes. Então na relação com a cidade pegamos 3 situações: rio, estrada de ferro e viaduto. No rio teremos uma moda esportiva caracterizada por tecidos mais rústicos: sarjas mais pesadas, lãs grossas, flanelas, jaquetas, couro, calças mais desgastadas. O xadrez aparece sempre em cada look, ora na camisa sobre a jaqueta, ora como calça. O cowboy aparece em detalhes como cintos e botas. Usaremos 3 modelos masculinos e uma modelo feminino. Na foto final, casal andando ao lado de um cavalo.

Cintos
Fotógrafo João Ávila
Produtor de moda: Kika Cabrera
A idéia central foi vestir uma modelo somente com cintos. A maior preocupação foi conseguir fazer bem a passagem entre um cinto e outro que resultasse numa imagem harmônica.

68 dicas + 1 de estllo
Esta matéria foi a mais difícil por causa do tempo. É só texto. Dividi em 2 grandes grupos Eterno x Contemporâneo e dei dicas bem gerais para moda e ambiente de trabalho.

Playboy # 1: Briefings do editoriais

Acabou o fechamento da Playboy. Como sabem fui convidado para ser editor de moda para um especial de inverno. Agora é só esperar a revista chegar nas bancas. Vi tudo no PDF e estou feliz com o resultado. Claro, que nunca fico 100% satisfeito com o resultado. Depois de pronto, começo a cruel auto-crítica, não tem jeito. Que vai piorar depois da revista impressa.

De qualquer forma, resolvi compartilhar o processo com vocês. Desde que escrevi Como monto um editorial, e como ele serviu para um monte de gente, agora podemos passar da teoria para prática. A primeira coisa foi a reunião de pauta com o diretor de redação, Edson Aran, diretor de arte, Alexandre Ferreira e o redator chefe Jeferson de Sousa.

Antes, eu enviei um balanço da moda masculina dos lançamentos de Inverno para que a reunião rendesse. Chegamos a conclusão que seriam 4 editoriais:um de jeans, um sobre gravata preta, outro de moda cowboy, um sobre a onda retrô. Depois no processo, abrimos um espaço um especial de cintos e outro para 68 dicas sobre estilo no trabalho. No total, 20 páginas de moda. Colocamos uma matéria sobre jeans premium que já estava feito anteriormente.

As maiores dificuldades no começo foi encontrar os produtores e fotógrafos. Todos com agenda bem complicada. Mas a minha maior surpresa foi ouvir o seguinte texto: “estou com uma agenda muito corrida esses dias e complicado somar essa materia que e mais serviço do que moda”. O mais incrível é que depois vejo uma matéria assinada por ele que é uma cópia de uma matéria do Men Style… Então, tá…

Ao meu ver, todo editorial de moda é serviço. Existem inúmeras formas de se mostrar aquilo que se pretende. Mais ou menos ousado, mais ou menos criativo, mas no final das contas, o que todos estamos fazendo é serviço.

Outro problema no mercado, é a quantidade de stylists e poucos produtores de moda. Bom, eu nunca fui stylist, mas já fui produtor. De moda muito pouco, mas em artes plásticas fiz muita coisa e nunca me senti inferiorizado com isso. Eu posso estar errado, mas parece que no mundo da moda, ser produtor é quase uma ofensa. Discordo. Nem sempre um bom stylist é bom produtor. Nem sempre um bom produtor se torna um bom stylist. Cada uma das profissões têm suas especificidades.

Claro, que quando recebo o briefing, começo a esboçar a matéria, vou pensando no fotógrafo ideal, nas roupas mais significativas, etc, etc, Neste momento, em que estamos procurando um caminho para a moda na Playboy, preciso mais de bons produtores do que stylists. Acho que o jeito é fazer como fiz na época das artes plásticas: formar uma nova geração de produtores.