Relações entre Moda, Arquitetura e Estrutura

Olá estruturalistas & minimalistas!

Verdade seja dita. Estava meio sem assunto hoje, porque desde ontem a faxineira baixou em mim com força e estou fazendo uma limpa de papéis e memórias que não servem mais. É difícil se livrar de tanta papelada, mas chega uma hora que não dá mais para segurar.

Mas como este blog é vício e o leitor reclama quando a gente deixa de postar, fiquei rodando pela internet em busca de alguma coisa para falar. Semana de moda em NY? A Maria Prata está fazendo um relato incrível, porque nos inclui e não nos afasta da sua temporada por lá, então prefiro acompanhar por ela e dando uma olhada no Style.com, na Suzy Menkes, Cathy Horin, no Luigi Torres e na moda masculina escrita pelo Sylvain Justum. Meus preferidos? Y-3 e Calvin Klein.

Aí me deparo novamente com um assunto que vai e volta, a Arquitetura na Moda. O Vitor Angelo já havia escrito sobre isto ano passado, em Essa tal de arquitetura na moda , falando do Balenciaga e alertando que colocar uma estampa ou ornamento, não siginificava nada nesta relação. Muito certo, ele!

As coleções do Alexandre Herchcovitch e de Calvin Klein fazem retornar este assunto. Em ambos, o que está em jogo é a construção da roupa, assim como foi para Balenciaga.

Me lembrei que havia escrito um texto para a revista AU com a Marta Bogea, que fez a expografia da última Bienal e do Panorama do MAM e o Yopanan Rebello, meu querido professor de estruturas na época de faculdade.

Começava com a seguinte afirmação: “A roupa pode ser vista, em primeira instância, como o abrigo imediato, mais próximo da pele humana do que qualquer outro elemento que arquitetura possa conceber. Uma espécie de arquitetura primeira, abrigo que se descola da pele do homem e se projeta ampliando sua ocupação“.

Por estar lidando com arquitetos que não tinham uma ligação com a moda, as discussões para se chegar ao texto final foram muito boas. Como a matéria era sobre as relações entre Moda, Arquitetura e Estrutura, fomos selecionando projetos e roupas que pudessem estabalecer uma comparação.

Dois estilistas foram exemplares para nós: as roupas de papel de Jum Nakao e Issey Miyake.

A saia de Jum Nakao, um conjunto de tiras de papel vegetal e anel plástico compõem um sistema entre cabos e barras rígidas. Essa saia faz parte da coleção de verão de 2004, ano em que Nakao inspirado nos vestidos do século XIX revoluciona a moda, em um desfile com roupas de papel. Uma metáfora de origem. Delicadas armações, com requinte de bordados e rendas re-desenham as estruturas dos vestidos.
jum2.jpgkenzo1.jpg

A solução estrutural da saia nos remete a um dos impressionantes conjuntos olímpicos de meados do século passado: as coberturas do ginásio e da piscina de Tóquio projetados por Kenzo Tange, em 1968. Um esqueleto que ganha forma a partir da associação de cabos e barras, nesse caso, cabos e barras curvas na forma de arcos.

tange.jpg

A escala e os materiais são outros, a estratégia é a mesma. Aqui a plasticidade de uma curva suave e de um anel de borda, em Nakao, ou segmento de borda em Tange, fazem da saia e da cobertura do ginásio um mesmo conceito estrutural.

Nem sempre a construção da forma ocorre a partir de elementos rígidos, há momentos em que cabos isolados dão forma a malha de cabos. Essa estratégia estrutural é que configura a forma pretendida. Nas roupas são as pences, costuras, pregas e viéses constituem o equivalente aos cabos estabilizante. A volumetria de arestas e mudanças de direção são viabilizadas por cabos ou costuras, elementos que dão a devida tração nos vértices construindo as dobras, como na roupa de Miyake. Cabos de crista e de vale se suscedem configurando a cobertura do estádio de Riyardh

myake.jpg riy-ext.jpg

Dos cabos chegamos as cascas. Uma passagem que se dá através de um enrijecimento que garanta permanência que impede a mudança de forma com o carregamento. Associar um material adequado a uma geometria de dobras nos leva ao universo das cascas.

Cascas em concreto são velhos conhecidos na arquitetura. Nervi muitas vezes se vale dessa geometria. Um exemplo interessante que lembra a seqüência de dobras retilineas, como no Palácio dos Esportes em Roma. Esse mesmo conceito estrutural pode ser visto na gola e na pelerine em papel vegetal de Jum Nakao:

jum.jpgpier-luigi-nervi.jpg

Os plissados na roupa e nas estruturas são dobras que ajudam a obter rigidez necessária, quando se deseja manter elementos esbeltos. Quando a escala de construção faz com que as espessuras originais das cascas se tornem insuficientes para garantir a devida resistência, novas nervuras ou dobras podem ser incorporadas aquela lâmina, garantindo a espessura inicial.

O tecido plissado e tecnológico de Miyake, corresponde a um material que garante através da estrutura do próprio tecido a construção de uma geometria que permaneça estável como cascas e não mais membranas. As minúsculas nervuras transformam a membrana original em um novo sistema estrutural no qual a rigidez prevalece. É como o enrijecimento pelo uso de nervuras em substituição às lâminas maciças da catedral St. Mary´s, na Califórnia, Estados Unidos (1966-71), de Nervi. E que transformam a lâmina original em uma eficiente casca.

isseymiyake.jpgigrja.jpg

Guardando as evidentes especificidades e distinções entre arquitetura e moda, da escala ao procedimento, o que nós buscamos é entender como um trabalho de construção e os desafios frente a um determinado material pode resultar em um desenho desejável e possível, desde que se entenda o que está na base de cada um dos procedimentos.

Anúncios

7 Comentários

  1. Essa pesquisa de imagens está maravilhosa. Essa relação de moda e arquitetura é pouco explorada, não acha?

  2. esse seu texto tá foda. com certeza já é referência

  3. devidamente citado! não podia faltar meeeesmo, my bad! =)

  4. Olá, axei seu blog muito legal!
    estou fazendo um trabalho sobre ” BLOG DE MODA ” e como achei interesante o seu site pensei que poderia me falar um pouco sobre blog de moda!
    se o blog interfere na cumunicaçao.
    se o seu blog é bastante visitado.
    para vc o q seria um blog.
    o que seria um blog de moda.
    sabe praticamente me ceder uma entrevista.
    se caso puder me ajudar ficaria muito grata!
    desde já agradeço!

  5. ah meu email é grabrielleissberner@hotmail.com

  6. Olá,

    Meu é Danilo de Araujo,e gostei muito dos seus comentários e observações.No decorrer deste ano,nós alunos e professores da minha escola estaremos desenvolvendo um projeto denominado “Tecendo a Geométria”.Estamos enpenhados em ampliar nossos conhecimetos e me interesso nessa área. Temos como objetivo:feiras e pesquisas, com objetivo de ampliar nossps conhecimentos.
    Espero ancioso sua resposta, sua participação será de extrema importancia para “tecermos a geometra”.
    Obrigado.
    danilo de Araujo Nogueia

  7. Olá! Incrível esse seu texto!
    Gostaria de te fazer um pedido. Meu tcc da pós será sobre arquitetura na moda. Será que vc poderia me passar as tuas fontes de pesquisa?

    Muitíssimo obrigada!


Comments RSS TrackBack Identifier URI

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s